O apagar das velinhas.

Olá!  Eu estive no aniversário do filho de uma amiga, e voces sabem que fico "antenada" em tudo. Pois bem, a festa estava linda. Fotografei tudo que pude, e achei mais interessante a lembrancinha que segundo minha amiga ela mesma fez, seguindo o passo a passo copiado na internet. Achei lindo.  Eu adoro festa de criança, ver a felicidade dos pais, a alegria das crianças, dos amigos, as gargalhadas, as piadinhas que surgem, e a hora do parabéns é uma festa a parte, junta um punhado de crianças junto com o aniversariante em frente ao bolo e todos querem participar de apagar a velinha. Isto pode ser um problema. Por isso, este é o assunto para hoje.
Quando vi muitas crianças assoprando a velinha do bolo me questionei:

Soprar velinhas contamina o bolo de aniversário? 
Fui pesquisar e trazer pra vocês esta informação. 
R: Verdade. Testes comprovam que o bolo fica infectado com bactérias da saliva que produzem uma toxina que pode causar intoxicações com mal estar e vômito.

Outro site também dá o alerta. O biomédico Roberto Martins Figueiredo, mais conhecido como doutor Bactéria. Diz, que a  saliva tem uma bactéria oportunista, o Staphylococcus aureus, que fica só esperando baixar a resistência. Quando a criança assopra a velinha, ela joga essa bactéria sobre o bolo, que, após cerca de duas horas em temperatura ambiente, começa a produzir toxinas que causam vômito e mal estar. Se for aquela vela que acende, apaga, acende, apaga, é pior ainda, afirma o especialista. Quem deixa para comer o bolo mais tarde ou no dia seguinte também corre mais riscos.

A vela soprada pelo aniversariante pode ser um mal?  O especialista responde: Você sabe que  a cobertura dessa cobiçada sobremesa chega a ter 1.400% mais bactérias quando o aniversariante sopra as velinhas? É o que diz um estudo da Universidade de Clemson, da Carolina do Sul, Estados Unidos, e que foi publicado no periódico científico Food Research em maio deste ano. A pesquisa foi feita com 11 pessoas, que apagaram as velas em três ocasiões e dias diferentes. Apesar de nojento, o costume não chega a representar um risco para a saúde – as bactérias comuns não causariam problemas. Em entrevista ao jornal The Atlantic, o autor do estudo, Paul Dawson, afirma que, mesmo que se sopre as velinhas de um bolo 100 mil vezes, as chances de alguém ficar doente ao comer um pedaço são mínimas. A restrição seria apenas se o aniversariante estiver claramente gripado. Como a doença se espalha pelo ar, comer o bolo que teve contato com velas que foram sopradas por uma pessoa infectada aumentaria bastante as chances de contágio pelo vírus. O número de micro-organismos depende da quantidade de saliva produzida. Algumas possuem uma condição chamada de hipersalivação, o que aumentaria drasticamente as bactérias presentes na cobertura do bolo.

Calma, não precisa apavorar! Os especialistas deixam claro que não há problemas com contaminação, a não ser se o aniversariante estiver gripado. Porém, caso queira assegurar ainda mais o bem estar dos convidados, e da família dou algumas sugestões, para cantar um parabéns bem animado sem se preocupar com as bactérias.
1- A primeira pode não ser bem aceita pelos pimpolhos: retirar a velinha do bolo para ser apagada.
2-. Escolha bolos do tipo que vêm embrulhados e não correm risco de contaminação. 
3-Nada de deixar o bolo o tempo todo enfeitando a mesa decorada com temas especialmente escolhidos para a festa. O ideal é deixá-lo na geladeira e só tirá-lo na hora de cantar o Parabéns a você.
4- Bolos fake`s também funcionam muito bem.
Viram como tudo tem solução prática e simples. Então, FELIZ ANIVERSÁRIO!



fonte:
http://www.cg.unimed.com.br/index.php/noticias/unimed/verdades-e-mitos-sobre-as-bacterias-em-nosso-cotidiano, obtive a primeira resposta. 
http://revistadonna.clicrbs.com.br/saude/soprar-velinhas-pode-contaminar-bolo-de-aniversario/ 
https://www.revistaencontro.com.br/canal/atualidades/2017/08/cuidado-ao-comer-bolo-com-velinha-soprada-pelo-aniversariante.html 

Filho o bem maior que Deus nos deu!

Olhando o sono do meu filho de apenas um ano de vida, fico imaginando o que seria de minha vida se ele não existisse. Como seria a vida sem o sorriso de canto da boca, sem o olhar fixo em mim enquanto amamento, sem as sobrancelhas franzidas ao acordar, sem o choro antes de niná-lo, sem o perfume de bebê, sem o momento de ternura entre mãe e filho, sem o tempo que fico acariciando as mãozinhas e os pezinhos, sem a gargalhada na hora do banho, sem as brincadeiras na hora de trocar as fraldas. 
Como seria minha vida sem ficar tensa ao passá-lo para os braços de outra pessoa. Como viveria sem as noites mal dormidas, sem o despertar de sobressalto nas madrugadas, sem colocar o dedo diante do narizinho dele para saber se respira, sem levantar as pressas e dar para ele o primeiro bom dia. 
Como seria minha vida sem ter que adormecer durante o dia, aquela horinha em que ele dorme também, e aproveitar esse momento para sonhar.. adivinhem com quem...com ele!!
Não, não imagino minha vida sem ele. Só tenho a certeza de que o futuro será brilhante. A certeza de que a vida é muito linda  e que Deus me deu o maior presente do mundo,  meu filho!